Eleições 2020 e pandemia: propaganda política e interação entre candidatos e eleitores no Facebook
Portada: Eleições 2020
PDF
EPUB
MOBI

Palabras clave

eleições
estratégicas de campanha
interação
Facebook

Cómo citar

Ferreira, K. de L., & de Oliveira Lima, M. Érica. (2022). Eleições 2020 e pandemia: propaganda política e interação entre candidatos e eleitores no Facebook. Revista De La Asociación Española De Investigación De La Comunicación, 9(Especial), 187-210. https://doi.org/10.24137/raeic.9.e.11

Resumen

Este artigo trata de analisar quais foram as estratégias de comunicação adotadas nas páginas do Facebook dos três candidatos mais votados nas eleições 2020 para prefeito em Natal, Brasil, entre 27 de setembro e 15 de novembro. Também identificamos as postagens mais compartilhadas e procuramos compreender quais foram os momentos de interatividade entre candidatos e seguidores nos comentários. Utilizamos como método a Análise de Conteúdo qualitativa e a técnica bibliográfica. Os resultados mostram uma hibridação de recursos de texto, áudio e vídeo na construção das postagens como forma de dar visibilidade às campanhas. Verificamos ainda a divulgação de pesquisas de intenção de votos, de notícias da mídia, o uso de campanha negativa, além de ações mobilizatórias. Observamos que as situações de interação se efetivaram em conversas de apoio e elogios aos candidatos.

https://doi.org/10.24137/raeic.9.e.11
PDF
EPUB
MOBI

Citas

Aggio, C. e Reis, L. (2013). Campanha eleitoral no Facebook: usos, configurações e o papel atribuído a esse site por três candidatos eleitos nas eleições municipais de 2012. Revista Compolítica, 2(3), 155-188.

Albuquerque, A., et al. (2016). Redes de campanha de pré-candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro. Em Debate, 6, 8-23.

Bachini, N. et al. (2013). Curtiu? O uso do facebook nas eleições municipais de são paulo em 2012. V Congresso da Compolítica.

Baptista, E. A., Lopes, N. F. A., Melo, P. V. T. P. (2017). Eleições municipais 2016 em Belo Horizonte: a nova política. Congresso Latino-Americano de Ciência Política, 9, 1-27.

Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Barros, S. e Carreiro, R. (2015). A discussão pública e as redes sociais online: os comentários de notícias no Facebook. Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos, 17(2), 174-185.

Borba, F. (2015). Propaganda negativa nas eleições presidenciais brasileiras. Opinião Pública, 21(2), 268-295.

Braga, S. e Carlomagno, M. (2018). Eleições como de costume? Uma análise longitudinal das mudanças provocadas nas campanhas eleitorais brasileiras pelas tecnologias digitais (1998-2016). Revista Brasileira de Ciência Política, 26, 7-62.

Carpentier, N., Melo, A. D. e Ribeiro, F. (2019). Resgatar a participação: para uma crítica sobre o lado oculto do conceito. Comunicação e Sociedade, 36, 17-35. https://doi.org/10.17231/comsoc.36(2019).2341

Castro, J. C. L. (2018). Redes sociais como modelo de governança algorítmica. Matrizes, 12(2), 165-191. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i2p165-191

Coêlho, M. M. O. (2015). O perfil Senado Notícias no Facebook e a politização da sociedade (Trabalho de conclusão de curso). Instituto Legislativo Brasileiro, Brasília. Recuperado de https://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/516927

Fernandes, C. M. et al. (2018). A propaganda política no Facebook: o uso das fanpages pelos principais candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte. Rizoma, 6(1), 74-88. https://doi.org/10.17058/rzm.v6i1.9535

Ferreira, K. L. (2014). Mídias sociais e práticas de participação política: um estudo de caso das eleições municipais 2012 em Natal (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Figueiredo, M. et al. (1997). Estratégias de persuasão eleitoral. Opinião Pública, 4(3), 182-203.

Freitas, R. S. e Castro, M. F. (2013). Liberdade de expressão e discurso de ódio: um exame sobre as possíveis limitações à liberdade de expressão. Sequência, 66, 327-355. https://doi.org/10.5007/2177-7055.2013v34n66p327

Heiss, R., Schmuck, D. e Matthes, J. (2019). What drives interaction in political actors’ Facebook posts? Profile and content predictors of user engagement and political actors’ reactions. Information, Communication & Society, 22(10), 1497-1513. https://doi.org/10.1080/1369118X.2018.1445273

Hjarvard, S. (2014). Midiatização: conceituando a mudança social e cultural. Matrizes, 8(1), 21-44. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v8i1p21-44

Kiss, A. e Simonovits, G. (2014). Identifying the bandwagon effect in two-round elections. Public Choise, 160, 327–344. https://doi.org/10.1007/s11127-013-0146-y

Lemos, J. G. e Coelho, D. M. (2019). O uso político do discurso do ódio: um estudo de caso no Facebook (2016). Psicologia Política, 19(46), 528-542. Recuperado de https://cutt.ly/cJh3kZo

Massuchin, M. G. e Tavares, C. Q. (2015). Campanha eleitoral nas redes sociais: estratégias empregadas pelos candidatos à Presidência em 2014 no Facebook. Revista Compolítica, 5(2), 75-112. Recuperado de https://cutt.ly/IJh3Q1O

Miola, E. e Marques, F. P. J. (2018). Razão e emoção nas estratégias eleitorais: a campanha à Prefeitura de Curitiba em 2016 no Facebook. XXVII Encontro Anual da Compós.

Morbach, M. R. (2017). Campanhas eleitorais no Facebook e a sociabilidade politica on-line. Congresso Latino-Americano de Ciência Política, 9, 1-12.

Murta, F. et al. (2017). Eleições e mídias sociais: interação e participação no Facebook durante a campanha para a Câmara dos Deputados em 2014. Revista Compolítica, 7(1), 47-72. Recuperado de https://cutt.ly/uJh3SAf

Nave, N. N., Shifman, L. e Teneboim-Weinblatt, K. (2018). Talking it personally: features of successful political posts on Facebook. Social Media + Society, 1-12. https://doi.org/10.1177/2056305118784771

Recuero, R. (2012). A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina.

Rossini, P. (2015). Campanhas eleitorais digitais: descobertas, desafios e transformações em mais de duas décadas de pesquisa e prática (Entrevista com Jennifer Stromer-Galley). Revista Compolítica, 5(2), 173-186. https://doi.org/10.21878/compolitica.2015.5.2.91

Rossini, P. et al. (2016). O uso do Facebook nas eleições presidenciais brasileiras de 2014. Em E. U. Cervi, M. G. Massuchin e F. C. Carvalho (Eds.), Internet e eleições no Brasil (pp. 149-179). Curitiba: CPOP/UFPR.

Sampaio, R. C. e Lycarião, D. (2021). Análise de conteúdo categorial: manual de aplicação. Brasília: Enap, 2021.

Stetka, V., Surowiec, P. e Mazák, J. (2018). Facebook as an instrument of election campaigning and voters engagement: Comparing Czechia and Poland. European Journal of Communication, 34(2), 121-141. https://doi.org/10.1177/0267323118810884

Sweetser, K. D. e Lariscy, R. W. (2008). Candidates make good friends: an analysis of candidates' uses of Facebook. International Journal of Strategic Communication, 2(3), 175-198. https://doi.org/10.1080/15531180802178687

Vieira, A. (2019). Os presidenciáveis na corrida eleitoral de 2014: as estratégias de Dilma Rousseff e Aécio Neves no Facebook. Revista Compolítica, 9(2), 65-91. https://doi.org/10.21878/compolitica.2019.9.2.150

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.