Digitalização e práticas jornalísticas em Moçambique
PDF
EPUB
MOBI

Palabras clave

Rotinas jornalísticas
Digitalização
Ciberjornalismo
Moçambique

Cómo citar

Marin i Otto, E., & Mabuie, E. F. (2021). Digitalização e práticas jornalísticas em Moçambique. Revista De La Asociación Española De Investigación De La Comunicación, 8(16), 224-247. https://doi.org/10.24137/raeic.8.16.11

Resumen

Busca-se neste estudo analisar os modelos ciberjornalísticos de quatro jornais de maior circulação e impacto em Moçambique, assim como o nível de preparo das Redacções para encarar a nova forma de difusão de informação no ciberespaço. O artigo toma quatro Redacções dos jornais Tablóides, que adoptaram o ciberjornalismo nomeadamente. Para a melhor compreensão e entendimento deste fenómeno faz-se um estudo de caso que foi acompanhado por uma triangulação metodológica, que constituiu-se na observação das Redacções, entrevistas em profundidade com os Directores Editoriais dos Jornais impressos e os Editores dos ciberjornais, assim como uma pesquisa documental para o melhor conhecimento dos jornais estudados. Com a pesquisa pode-se concluir que o modelo mais predominante nos quatro meios é o Modelo adaptado. Este caracteriza-se por apresentar os mesmo conteúdos dos jornais impressos, porem apresenta um layout diferente e com características mínimas de online.

https://doi.org/10.24137/raeic.8.16.11
PDF
EPUB
MOBI

Citas

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bardoel, J. e Deuze, M. (2001). Network Journalism: Converging Competences of Media Professionals and Professionalism. Australian Journalism Review, 23(2), 91-103. Disponível em: http://hdl.handle.net/2022/3201

Barral, F. (2008). ¿Qué es el cualitativo digital? Em: P. Martínez (Ed.), Cualitiva-mente: Los secretos de la investigacíon cualitativa (pp. 115-123). Madrid: ESIC Editorial.

Bastos, H. (2013). A diluição do jornalismo no ciberjornalismo. Disponível em http://www.bocc.ubi.pt/pag/bastos-helder-2013-a-diluicao-do-jornalismo-no ciberjornalismo.pdf

Cabrera, M. (2001). Convivencia de la prensa escrita y la prensa “online” en su transición hacia el modelo de comunicación multimédia. Estudios sobre el Mensaje Periodístico, 7, 71-78. Disponível em https://cutt.ly/nROj8Wa

Castells, M. (2004). La sociedad en red: Una vision global. Traducción de Francisco Muñoz de Bustillo. Madrid: Alianza Editorial.

Domingo, D. (2006). Inventing Online Journalism: Development of the Internet as a news médium in four Catalan online newsrooms. (Tese de doutoramento). Barcelona: Departament de Periodisme i Ciènces de la Comunicació, Universitat Autònoma de Barcelona. Disponível em https://cutt.ly/oROjG1H

Fortunati, L. et al. (2009). The influence of the Internet on European Journalism, Journal of Computer-Mediated Communication, 14, 928-963. Disponível em http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1083-6101.2009.01476.x/pdf

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4. Ed). Atlas: São Paulo.

Gómez Mompart, J. L. e Marín i Otto, E. (Orgs.) (1999). Historia del Periodismo Universal. Madrid: Síntesis.

Jerónimo, P. (2015). Ciberjornalismo de proximidade: Redações, jornalistas e notícia online. Covilhã: LabCom. Disponível em https://cutt.ly/EROjlCU

Latour, B. (2012). Regregando o Social. Uma introducao à teoria do Ator-Rede. Tradução de Gilson César Cardoso de Sousa. EDUFBA-EDUSC. Salvador: Bauru.

Lévy, P. (2007). Cibercultura, La cultura de la sociedad digital! Barcelona: Rubí Disponível em https://cutt.ly/FROjaco

Lévy, P. (2004). Inteligência colectiva: por una antropología del ciberespacio / Pierre Lévy: traducción del francés por Felino Martínez Álvarez. 2004. Disponível em http://inteligenciacolectiva.bvsalud.org/

Nieto M. D. (Coord.) (2008). Periodismo en la era de internet: Claves para entender la situación actual de la información periodística en España. Barcelona: Fundación Telefónica.

Prodanov, E. e Cleber C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho académico. (2ª. Ed). – Novo Hamburgo: Feevale.

Quivy, R. e Campenhoudt L. (2008). Manual de investigação em ciências sociais. (5ªed). Lisboa: Gravida.

Santaella, L. (2014). O leitor ubíquo e suas consequências para a educação. Em: P. Lupuion Torres. (Org.) Complexidade: Redes de Conexões na produção do conhecimento (pp. 27-44). 1ed. Curitiba: Kairós Edições. Disponível em: https://cutt.ly/rROhMTj

Santos, L. (2011). Journalism in transition: A study of change at Jornal de Notícias’ online newsroom. (Tese de doutoramento). Braga: Universidade do Minho. Disponível em http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/19746.

Yin, R. (2003). Estudo de caso: planejamento e métodos /trad. Daniel Grassi - 2.ed. -Porto Alegre: Bookman.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.