Os discursos de ódio nas eleições presidenciais de 2014 no Brasil
PDF
EPUB
MOBI

Palabras clave

discursos de ódio
dispositivo
eleições presidenciais brasileiras
mídia

Cómo citar

Duarte, K. R., & Fernandes Júnior, A. (2019). Os discursos de ódio nas eleições presidenciais de 2014 no Brasil. Revista De La Asociación Española De Investigación De La Comunicación, 6(12), 166-188. https://doi.org/10.24137/raeic.6.12.7

Resumen

Esta pesquisa destina-se a analisar os discursos de ódio produzidos em torno dos protestos sobre as eleições presidenciais de 2014, no Brasil, e a dinâmica dos processos de subjetividade envolvidos. O material de análise é composto por recortes de notícias que veiculam discursos de ódio sobre as manifestações dos eleitores de direita e de esquerda, neste cenário. Para a seleção dos trechos das reportagens, utilizamos como critério os discursos de ódio veiculados pelas matérias. Como orientação teórica, utilizam-se os estudos de Michel Foucault e aciona-se, em especial, o conceito de dispositivo, noção que possibilita compreender os discursos de ódio como engrenagens do dispositivo de violência, a partir de uma complexa e heterogênea rede de elementos, e que permite descrever as regularidades discursivas presentes nos enunciados analisados. A análise recai sobre a investigação da regularidade dos discursos de ódio, e o funcionamento do dispositivo sobre o cenário político brasileiro. Os resultados obtidos apontam para a produção de verdades que concorrem para se legitimar determinados posicionamentos político-partidários, no país. Assim, investiga-se a atualização do dispositivo no intuito de se responder a uma demanda do nosso tempo: como solucionar as crises enfrentadas no Brasil.

https://doi.org/10.24137/raeic.6.12.7
PDF
EPUB
MOBI

Citas

Agamben, G. (2009). O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó, SC: Argos.

Brugnano, F; Chaia; V. (2014). A nova polarização política nas eleições de 2014: radicalização ideológica da direita no mundo contemporâneo do Facebook. Aurora revista de arte, mídia e política, 7(21), 99-129.

Deleuze, G. O que é um dispositivo. Disponível em http://escolanomade.org/pensadores-textos-e-videos/deleuze-gilles/o-que-e-um-dispositivo. Acesso em 20 de mar. 2015.

Duarte, K. R. (2018). O dispositivo da violência a partir dos discursos de ódio em torno das manifestações brasileiras. Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Tese de Doutorado.

Fernandes, C. A. (2007). Análise do Discurso: reflexões introdutórias. Goiânia: Trilhas Urbanas.

Fernandes Júnior, A. (2016). Discursos sobre a felicidade em práticas discursivas contemporâneas. Em: Souza, K.M; Paixão, H. P (Orgs.) Dispositivos de poder/saber em Michel Foucault: biopolítica, corpo e subjetividade. Ed. Intermeios: São Paulo.

Foucault, M. (2008). A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (1979). Sobre a História da Sexualidade. Em Microfísica do poder. 10ª. Edição. Graal.

Foucault, M. (1995). A ordem do discurso. São Paulo: EDIÇÕES LOYOLA.

García-Fanlo, L. (2011). Que és un dispositivo? Foucault, Deleuze, Agamben. A Parte Rei Revista de Filosofia, 74, 1-8.

Iñiguez, L., Garay, A. e Martínez, L. M. (2005). La perspectiva discursiva en Psicologia Social. Subjetividad y Processos Cognitivos, 7, 105-130.

Marcello, F. A. (2003). Dispositivo da maternidade: mídia e produção agonística da experiência. Porto Alegre (RS): Dissertação de Mestrado.

Prado Filho, K. e Teti, M. M. A cartografia como método para as ciências humanas esociais. Disponível em http://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/2471. Acesso em 25 de março de 2015.

Rancière, J. (2014). O ódio à democracia. Rio de Janeiro: Boitempo.

Sargentini, V. M. (2015). O Dispositivo: um aporte metodológico para o estudo do discurso. Em Souza, K.M e Paixão, H. P (Orgs.) Dispositivos de poder/saber em Michel Foucault: biopolítica, corpo e subjetividade. Ed. Intermeios: São Paulo, v.1, pp. 19-36.

SAwaia, B. B. (1999). As artimanhas da exclusão: uma análise ético-psicossocial da desigualdade. Petrópolis, RJ: Vozes.

Souza, J. (2016). A radiografia do golfe: entenda como e por que você foi enganado. Rio de Janeiro: Leya.

Veyne, P. (2009). Foucault: seu pensamento, sua pessoa. Lisboa: Edições Texto e Grafia Lda.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.